Certamente a complicação mais temida da Fibrilação Atrial é a formação de trombos na aurícula esquerda. Este fenômeno no entanto ocorre devido à estase sanguínea causada nessa câmara cardíaca. A Fibrilação Atrial é a principal causa evitável de Acidente Vascular Cerebral (AVC). Isto torna o seu diagnóstico e tratamento precoce ainda mais essenciais. Em cerca de 25% dos Acidentes Vasculares Cerebrais isquêmicos não é possível determinar uma etiologia.  Isso faz com que sejam designados como criptogênicos. Suspeita-se que muitos deles tenham como etiologia uma Fibrilação Atrial paroxística. Também é sabido que a incidência de Acidentes Vasculares Cerebrais é superior em doentes com Fibrilação Atrial persistente – permanente.

Diagnóstico da Fibrilação Arterial

Vários estudos demonstraram que a monitoração não invasiva com ERL ambulatorial durante 30 dias melhorou significativamente a detecção de Fibrilação Atrial– mais de cinco vezes em comparação com a prática padrão de monitoramento de Holter de curta duração (24 horas). Como resultado, isso diminui o risco de recorrência do Acidente Vascular Cerebral, melhorando o seu prognóstico e diminuindo o seu risco de morte.

Tratamento do Acidente Vascular Cerebral

É recomendado o tratamento ad eternumcom anticoagulantes orais em pacientes que têm Fibrilação Atrial e uma história prévia de embolismo, como é o caso de um AVC isquêmico. Também podem ser utilizados antagonistas da vitamina K ou novos anticoagulantes orais. Restou alguma dúvida sobre o AVC? Deixe o seu comentário.

Confira aqui, clínicas que já utilizam o Web Looper.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *