Hoje vamos falar sobre os estudos comparativos entre o Holter, os novos registradores  externos e os registradores de eventos internos. Portanto nosso objetivo é mostrar  como eles atuam em algumas situações  e qual o rendimento dos diagnósticos.

Síncope e o seu diagnóstico

Síncope, denominada popularmente por desmaio, é a perda momentânea de consciência e de força nos músculos. É caracterizada por aparecimento súbito de curta duração e recuperação espontânea. Em geral a síncope é um sintoma comum na população. Ela é entendida como uma importante cardiopatia com desfechos adversos resultantes do trauma físico associado. Esse sintoma certamente gera um impacto negativo na qualidade de vida e aumento do risco cardiovascular em muitos pacientes.

Além disso, o seu manejo é complexo, uma vez que no seu diagnóstico diferencial entram várias doenças com diferentes fisiopatologias,  exemplo doenças com origem psiquiátrica até doenças com origem cardiogênica. As diretrizes internacionais de cardiologia defendem e demonstram que o gold standard no diagnóstico da síncope é a correlação de um evento espontâneo com um achado ECG específico que suporte a existência deste sintoma. Mas como a ocorrência de síncope tende a ser imprevisível, é improvável que os observadores tenham a oportunidade de registrar ECGs, no momento de um evento.

Como atuam os novos registradores externos de ECG?

Registradores externos de ECG ou implantáveis são, especificamente, recomendados em pacientes com alta probabilidade pré-teste de síncope com origem arrítmica. Sendo que, a escolha do exame complementar de diagnóstico a ser utilizado depende da frequência dos sintomas que o paciente apresenta. Já o registro com Holter de 24h, muitas vezes, é um método de diagnóstico com baixa precisão. Portanto a probabilidade de capturar um episódio de síncope, nesse período de registro, é muito baixa. É importante destacar que esse diagnóstico pode ser facilitado somente quando o paciente apresenta sintomas com muita frequência.

Evidencias científicas

Recentemente foram realizados dois estudos prospectivos com o intuito de demonstrar a aplicabilidade e a eficácia dos registradores loop interno (ILR) (recém-incorporado na Agência Nacional de Saúde) e externo (ELR) no diagnóstico da síncope. Como estes exames permitem uma monitorização do ECG dos pacientes durante mais tempo, (ELR permite a monitorização até 30 dias e o ILR até três anos), torna-se mais fácil a obtenção de um diagnóstico exato em pacientes que apresentem sintomas de forma intermitente ou infrequentes. Certamente isto permite um tratamento adequado, eficaz e antecipado, consequentemente temos a diminuição do risco de morte súbita nestes pacientes.  

O primeiro estudo

Aferiu o rendimento de diagnóstico do ELR, em doentes com síncope, pré-síncope e palpitações comparando-o com o rendimento de diagnóstico do Holter de 24 horas em doentes com estudos prévios não conclusivos para o seu diagnóstico. Esse projeto de investigação prospetivo foi realizado por um grupo de pesquisadores especialistas em eletrofisiologia do Hospital Niguarda em Milão, Itália .(1) e demonstrou que o rendimento de diagnóstico da monitorização com um ELR para a síncope inexplicada foi de 17,4%, quando comparado com o monitoramento Holter de 24h, principalmente, devido a um período de monitorização mais longo. Dessa forma, permitiu uma maior recorrência dos sintomas e um registro  ECG do evento. Ao considerar arritmias sintomáticas e assintomáticas o rendimento diagnóstico foi de aproximadamente 90%, quando comparado com o monitoramento Holter de 24h.  

O segundo estudo

Como resultado, um estudo prospetivo e multicêntrico, aferiu o rendimento de diagnóstico do IRL, em doentes com síncope ou pré-síncope, também em comparação com o monitoramento Holter 24 horas (2). As porcentagens de pacientes com recorrência de síncope foram de 19, 26 e 36% após três, seis, 12 meses, respectivamente. Dos eventos dentro do estudo, o diagnóstico orientado por ILR foi obtido em 78% dos casos, dos quais 75% foram cardíacos. A taxa de recorrência de síncope foi semelhante nos dois estudos. No primeiro incluindo pacientes com síncope inexplicada estudados por ELR foi de 17,4%. Já no segundo estudo, por ILR foi de 19% aos três meses. Assim, ELR e ILR apresentaram rendimentos diagnósticos similares considerando o mesmo intervalo de tempo.

Conclusão

O uso de registradores externos compartilha as características favoráveis do monitoramento Holter de 24h. (não invasivo, barato, fácil de usar em todos os grupos etários, reutilizável e com traçados ECG de alta qualidade). Ele poderia ser visto como uma ferramenta de primeira escolha para diagnosticar corretamente pacientes com recorrência precoce de síncope ou palpitações. Numa abordagem passo a passo, um ILR, mais caro e invasivo, poderia ser reservado para os casos em que um diagnóstico clínico não é obtido, após um mês de monitorização com os registradores externos. Assim sendo, o Weblooper da Cardio Web se torna uma ferramenta de diagnóstico imprescindível para os cardiologistas clínicos e arritmologistas. Uma vez que ele já foi cientificamente comprovado como registrador de eventos em loop externo, os diagnósticos são realizados de maneira mais precoce e eficaz devido ao alto rendimento diagnóstico.

Além disso, gostou dessa leitura?

Tem alguma dúvida sobre o WebLooper da Cardio Web? Entre em contato conosco agora mesmo!

Referências:

1. Locati ET, Vecchi AM, Vargiu S, Cattafi G, Lunati M. Role of extended external loop recorders for the diagnosis of unexplained syncope, pre-syncope, and sustained palpitations. Europace. 2014;16(6):914-22.2. Edvardsson N, Frykman V, van Mechelen R, Mitro P, Mohii-Oskarsson A, Pasquié J-L, et al. Use of an implantable loop recorder to increase the diagnostic yield in unexplained syncope: results from the PICTURE registry. Europace. 2011;13(2):262-9.

Confira aqui, clínicas que já utilizam o Web Looper.

8 thoughts on “O rendimento diagnóstico dos novos registradores externos de ECG

  1. Pingback: Síncope - Novas diretrizes Internacionais para o diagnóstico - CardioWeb

  2. Pingback: Comparação entre o sistema de telemetria cardíaca móvel ambulatorial (MCOT) e o monitor de eventos externo (ELR) - CardioWeb

  3. Pingback: Método de diagnóstico, a importância dos registradores de loop externo.

  4. Pingback: Fibrilação atrial Paroxística e sua relação com os AVCs.

  5. Pingback: Diagnóstico, fibrilação atrial e a importância do diagnóstico precoce.

  6. Pingback: Web looper tornando você uma referência em Cardiologia Clínica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *