Cada dia mais as pessoas buscam ter uma vida mais prática, quanto menos precisarem se deslocar de suas casas, cidade e até mesmo estado melhor. O Web looper pode ajudar seus pacientes a manterem isso.

É importante para o cardiologista, agregar à sua clínica exames diferenciados para atender as necessidades dos seus pacientes. Agregando o Web looper na sua clínica ou consultório como parte dos exames você já estará saindo na frente do mercado.

Rapidamente irá se tornar referência não só para os pacientes como para outros cardiologistas da região. Eles muitas vezes não tem o conhecimento e o volume de pacientes para manter determinados tipos de exames.

Mas o que é exatamente o Web looper?

Web lopper é um equipamento capaz de gravar o ritmo cardíaco e enviar, mediante o acionamento de um simples botão, em tempo real, o eletrocardiograma do usuário diretamente para o médico, utilizando a Internet.

A principal diferença entre o Web looper e o antigo Looper ou Holter, aparelhos que também gravam o ritmo cardíaco, é a agilidade.

“Além de enviar o eletrocardiograma pela Internet, sem nenhuma conexão elétrica, o Web looper permite que o paciente acione o botão no momento exato do sintoma. Isso torna o diagnóstico mais preciso, facilita e acelera o tratamento da doença.

O equipamento ainda oferece grande conforto.Ele é constituído por um pequeno módulo (caixa), normalmente colocado no cinto e dois pequenos eletrodos ligados ao peito do paciente com adesivos.

O próprio paciente faz a instalação. Nenhuma outra conexão elétrica é necessária. Os sinais são transmitidos à Internet diretamente pela rede de telefonia celular.

Outra vantagem é que o sinal enviado mostra 45 segundos de eletrocardiograma, sendo 15 segundos antes do botão ser acionado.

“O Web looper possui uma memória interna capaz de armazenar este período anterior.

Este detalhe faz toda a diferença, porque a arritmia pode durar pouquíssimos segundos e o acionamento do botão pode ocorrer depois que a arritmia tenha acabado.

Quando é indicado o uso do Web looper?

• Pacientes com necessidade de monitoramento cardíaco. Pois apresentam indícios de arritmias não detectadas pelas técnicas tradicionais (eletrocardiógrafo de repouso e Holter);

• Pacientes com sintomas de cansaço e tontura não detectáveis em situações de ambulatório;

• Pacientes com sintomas de palpitação não detectáveis em situações de ambulatório;

• Pacientes com necessidade de serem monitorados por estarem em um tratamento de arritmias, como instalação de marca-passo (sintonia), tratamento por drogas que necessitam ser afinadas (cuja dose deve ser acertada), ou por terem sofrido intervenção (ablação);

• Pacientes com eventos de desmaio não explicados;

• Pacientes que tenham sofrido cirurgia de revascularização miocárdica e que necessitam de monitoria de arritmias durante sua recuperação;

• Pacientes que necessitam de monitoria de arritmias devido a condições tais como hipertireoidismo ou doença crônica pulmonar;

• Pacientes com apneia obstrutiva para avaliar possíveis arritmias noturnas;

• Pacientes com problemas de isquemia cerebral gerando arritmias;

• Pesquisas clínicas com drogas, intervenções cirúrgicas e outros.

O paciente poderá ficar com o Web looper de 7 a 30 dias, até que seja feito um diagnóstico específico.

Como você poderá se tornar referência?

Simples, com o Web looper, você será lembrado na sua região, como o médico que tem uma gama completa de exames, principalmente diagnósticos de arritmia, mesmo não sendo um especialista.

Sua clínica poderá ainda fazer exames com o Web looper em pacientes de outros médicos da sua região.

Quando um paciente se sente “cuidado” pelo seu médico e percebe que ele se preocupa com seu conforto e qualidade de vida, acaba por indicá-lo a amigos e parentes.

Quer saber mais sobre o Weblooper?

Deixe aqui seu comentário ou entre em contato! Baixe também nosso e-book.

2 thoughts on “Web looper, torne-se uma referência em Cardiologia Clínica.

  1. Pingback: Tilt Test para pacientes com episódios de síncope e origem desconhecida

  2. Pingback: Síncope - Novas diretrizes Internacionais para o diagnóstico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *